• Pontaria Novo Governo
  • BOLETOS ON-LINE
  • coffee news mudou para melhor
  • sindeprestem 2018
  • CONTRIBUIÇÃO PATRONAL 2018

07/11/2019 | Copagaz e Itaúsa compram Liquigás, da Petrobrás, por R$ 3,7 bilhões - O Estado de S. Paulo

O consórcio formado entre Copagaz, Itaúsa (holding de investimentos do Itaú Unibanco) e Nacional Gás apresentou ontem uma proposta final de R$ 3,7 bilhões para comprar a Liquigás, divisão de gás de cozinha da Petrobrás, apurou o Estado com três fontes próximas às negociações. O lance feito pelo grupo foi o que apresentou o maior valor pelo negócio.

A Copagaz será a controladora da companhia – Itaúsa terá uma participação minoritária relevante, seguida pela Nacional Gás, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. 

A Petrobrás confirmou hoje a informação que foi antecipada com exclusividade pelo Estado na tarde de ontem. Por meio de nota, a estatal informou que a  transação ainda será submetida à aprovação pelos órgãos competentes da Petrobrás e as etapas subsequentes  serão divulgadas ao mercado.  A operação ainda depende de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Fontes ligadas à estatal afirmam que a petroleira teria recebido outras ofertas – o fundo Mubadala, de Abu Dabi, com mais empresas regionais, foi apontado como outro grupo interessado pelo negócio.

Não é a primeira vez que a estatal coloca a Liquigás à venda. Em 2016, o Grupo Ultra, dono da rede Ipiranga e da Ultragaz, anunciou a compra da companhia por R$ 2,8 bilhões, mas o negócio foi barrado pelo Cade. O órgão antitruste alegou concentração de mercado. 

No início deste ano, a Petrobrás contratou o banco Santander para conduzir novamente as negociações, como parte de seu plano de desinvestimento. A BR Partners assessorou o consórcio ganhador. 

Blindagem

Para evitar problemas com o Cade, a Copagaz, que tem cerca de 10% de participação no mercado, se uniu ao Grupo Itaúsa, que tem entre seus investimentos a Alpargatas (dona da Havaianas) e é acionista do gasoduto NTS, que também pertencia à Petrobrás, para fazer proposta pelo negócio. A Nacional Gás Butano, do grupo Edson Queiroz, também será acionista minoritária.

O Estado apurou que uma nova empresa será criada para estruturar dívidas e capital. Fundada em 1955 pelo empresário Ueze Zahran, morto no ano passado, a Copagaz disputa o mercado de gás de cozinha com outras três grandes empresas do setor. A líder no setor, a Ultragaz, tentou se isolar na primeira colocação com a compra da Liquigás, vice-líder do setor. A Supergasbrás, do grupo holandês SHV, é a terceira maior do setor.

Ao se unir a um grupo como o Itaúsa, a Copagaz, que também controla empresas de mídia, ganha musculatura para expandir sua atuação no setor. A holding do Itaú Unibanco tem olhado o mercado de gás natural: fez parte do consórcio, como acionista minoritário na compra do gasoduto NTS, junto com a gestora canadense Brookfield, e chegou a fazer oferta pelo gasoduto TAG, que foi comprado pela francesa Engie por US$ 8,6 bilhões. 

Procurados pela reportagem, Petrobrás e Copagaz não quiseram se pronunciar sobre o assunto. Itaúsa não retornou os pedidos de entrevista. Nenhum porta-voz da Nacional Gás foi encontrado para falar sobre o tema até a conclusão desta edição.

Fatos e Notícias

Home Logo01
Home Logo02
Home Logo03
Home Logo04
Catho
Up Plan Logo 02